Entenda o papel da alimentação na prevenção de lesões musculares

Diego
23 de janeiro de 2017
0 166 views

A alimentação adequada tem papel fundamental para a prevenção de lesões musculares, mas muitas vezes é deixada em segundo plano. Assim como a duração dos treinos, visitas ao ortopedista e o uso de equipamentos adequados na hora do exercício, a alimentação tem papel chave para que as lesões não aconteçam.

Uma alimentação adequada envolve uma dieta nutricional rica e complementada por uma boa suplementação. É preciso considerar que cada atleta, de acordo com a modalidade que pratica, seja ele amador ou profissional, terá sua dieta específica. No entanto, alguns fatores gerais podem ser considerados para todos, como evitar o uso de álcool, o tabagismo, bem como de açúcares e frituras, que devido ao caráter inflamatório que possuem, prejudicam bastante a recuperação de lesões e a prevenção.

Listamos, abaixo alguns alimentos essenciais para uma boa dieta para quem pratica exercícios.

Cúrcuma

Sabe aquele tempero amarelado, em pó, muito utilizado pelos indianos, mas que não é o curry? Pois é, a cúrcuma tem um elemento chamado curcumina com ótimo efeito anti-inflamatório, o que a torna muito interessante para a cura de lesões. Carnes, molhos, saladas e sucos ficam ótimos com cúrcuma!

Gengibre

Assim como a curcumina, o gingerol, substância presente no gengibre, é excelente para redução de infamações. Atua também no combate de inchaços e dores, bem como vai de encontro às chamadas citocinas inflamatórias. Cai muito bem, picadinho, ralado ou em pó, em molhos, carnes, saladas e sucos.

Proteína

Uma boa dieta para quem pratica esportes envolve o consumo de proteínas, sejam elas de origem animal, de mais fácil absorção e mais fácil de encontrar (em peixes, aves e carne bovina), como vegetal (presente na soja, no feijão, na lentilha e no grão-de-bico, por exemplo).

A proteína é o que fornece a estrutura adequada para as articulações, tendões, ligamentos e músculos. Por isso é fundamental não se abrir mão.

Chá verde

Assim como o gengibre e a cúrcuma, se você quer cortar as chamadas citocinas inflamatórias, use a erva do chá verde. Ele ainda protege, contra lesões oxidativas, as articulações.

Ômega 3

Presente em peixes, como bacalhau, atum, salmão e cacao, os ácidos graxos ômega 3 contribuem fortemente no tratamento de lesões e na redução do inchaço. É ele que contribui para a entrada de novas células nas articulações. É vendido também como capsula.

Cálcio

Lembre-se que quem te deixa de pé, em conjunto dos músculos, são os ossos. Por isso cuide de fortalecê-los, dando espaço para leite, queijos e iogurte na sua dieta! Lembre-se que, quando envelhecer, as chances de osteoporose aumentam. Previna-se desde já!

Como complemento, busque sempre ingerir vitaminas C (presente na laranja, na acerola e no limão) e E. Elas estimulam a sintetização de substâncias que formam as cartilagens. E sempre fique longe de substâncias proibidas, como anabolizantes, que fazem promessas de crescimento muscular, mas só tendem a ferrar com a sua saúde e podem causar até câncer.

E aí, muita coisa ajuda a deixar os seus 1200 músculos de pé, não é? Se souber de mais dicas, comente aqui no post. Busque sempre uma dieta equilibrada para não deixar nenhum deles parar no meio daquele alongamento puxado com a perna pro ar!