Ballet para adultos – entrevista com Daniela Dálio

Diego
22 de janeiro de 2018
0 56 views

Iniciar uma nova atividade física é sempre um desafio. Se esse exercício for o ballet, é provável que o desafio se torne um pouco maior. Isso porque a dança reúne passos precisos e que exigem certa força. É muito comum que o ballet seja iniciado logo na infância, quando o corpo é mais flexível e se adapta melhor aos movimentos. Mas, engana-se quem pensa que a atividade é uma exclusividade dos pequenos.

Cada vez mais adultos arriscam-se no ballet. Seja no estilo clássico, contemporâneo ou mesmo na versão fitness, a dança vem conquistando públicos de todas as faixas etárias. E para provar que não existe idade para calçar as sapatilhas e se lançar às piruettes, entrevistamos a paulista Daniela Dálio. Há cerca de um ano ela passou a praticar ballet e nos explica por que optou por essa dança. Mesmo com todas as particularidades da modalidade, Daniela afirma que não se arrepende da escolha e compartilha dicas e experiências de quem iniciou a prática já na fase adulta.

Paixão pela Dança – Como foi seu primeiro contato com a dança?

Daniela Dálio – Fiz aulas de jazz na adolescência, durante cinco anos.

 

Paixão pela Dança – O que fez você optar pelo ballet a outras atividades físicas?

Daniela Dálio – Sempre pratiquei atividade física, nunca consegui ficar parada. Já passei por várias atividades, como caminhada, musculação, pilates, ginástica. Nos últimos cinco anos, vinha fazendo apenas musculação com um personal trainer, mas acabei enjoando. Queria fazer algo diferente, que me proporcionasse prazer. Não queria mais nada por obrigação e repetitivo. Cheguei a procurar por jazz novamente, natação e ballet. Sempre tive vontade de aprender ballet clássico e encontrei um estúdio de dança perto de casa, que era bem conveniente.

 

Paixão pela Dança – Sabemos que ballet é o tipo de atividade que costuma se iniciar ainda na infância. Por algum momento te passou pela cabeça que a idade seria um empecilho?

Daniela Dálio – No começo sim. Mas, eu vinha lendo muitas reportagens com depoimentos de pessoas que também nunca tinham feito ballet e começaram depois de adultas. Então, se outras pessoas tinham arriscado, eu também poderia.

Paixão pela Dança – O que você diria para essas pessoas que estão pensando em aventurarem-se na dança?

Daniela Dálio – Façam aulas experimentais. A maior parte dos estúdios de dança oferece essa possibilidade. É a melhor maneira de saber se você vai gostar, se vai se identificar e também testar professores, métodos, companheiros. E, se gostarem, façam. É muito desafiador e satisfatório.

 

Paixão pela Dança – Qual você considera a maior dificuldade em praticar ballet?

Daniela Dálio – Concentração. Esse é um item de extrema importância para executar os passos. E como sou uma pessoa muito agitada, com a cabeça a mil, tem sido um exercício muito interessante. Hoje já consigo me concentrar melhor, mas no começo foi bem difícil!

 

Paixão pela Dança – Você tem contato com outros adultos que também praticam ballet?

Daniela Dálio – Sim, tenho contato no estúdio. Todos são adultos, na mesma faixa etária e também nunca tinham feito ballet antes. Isso foi muito importante, porque iniciamos o aprendizado básico juntos.

 

Paixão pela Dança – Quais são suas metas no ballet para 2018?

Daniela Dálio – Continuar me aperfeiçoando. E espero, daqui a dois ou três anos, já partir para a ponta.

 

Saiba como escolher a sapatilha de ponta perfeita.

Clique aqui e conheça nove passos de ballet para iniciantes.