Ballet romântico: como surgiu e quais as suas características?

Também conhecido como uma das principais formas do ballet clássico, o ballet romântico tem características únicas, como a posição das pernas e articulação dos quadris. Além disso, a representação de situações dramáticas e outros aspectos também marcam essa escola.

O ballet romântico surgiu nas cortes italianas no período renascentista, por volta do século XV. Dessa maneira, é um estilo tradicional que influenciou e deu origem a outras escolas. Seus movimentos são precisos, o que o diferencia do ballet contemporâneo, que permite uma movimentação mais ampla e fluida. 

Neste post, entenda mais sobre o ballet romântico e suas principais características.

Figurino romântico

O figurino do ballet romântico é marcante e facilmente reconhecido. A saia de tule e as sapatilhas de ponta são clássicas, entregando leveza e fazendo com que a bailarina pareça flutuar no palco. A princípio, as roupas eram pesadas, com tecidos grossos e que iam até os pés. 

Depois disso, houve um encurtamento da saia que permitiu uma maior variedade de movimentos. Figurinos como de peças clássicas como Lago dos Cisnes, Quebra-Nozes e A Bela Adormecida são alguns exemplos que utilizam figurinos do ballet romântico.

Situações representadas

Como o próprio nome indica, o ballet romântico coloca o amor acima de tudo, até mesmo da razão. Nesse sentido, a figura feminina é muito valorizada e é sinônimo de delicadeza, graciosidade e perfeição. Dessa forma, as situações representadas em sua maioria são de histórias de amor, com destaque para a mulher.

O homem é o acompanhante nas histórias e as mulheres podem representar até seres de outros mundos, às vezes inalcançáveis. Essa contraposição entre o mundo real e o espiritual também é uma característica marcante. Seres sobrenaturais, como fadas e outras figuras etéreas fazem parte da narrativa romântica.

Movimentos precisos

Como no início as roupas e sapatilhas eram mais pesadas, isso também teve influência nos movimentos do ballet romântico. A postura ereta, movimentos circulares e acrobáticos, verticalidade corporal e outras técnicas são usadas para aumentar a dramaticidade nas apresentações. Contudo, isso é feito sem perder a simetria, leveza e harmonia entre os bailarinos.

O trabalho de ponta e outras técnicas rigorosas (como as extensões altas, movimentos das pernas e uso de braços) são essenciais no estilo clássico. Movimentos com muito epaulement e croisé são bastante comuns, em que os braços arredondados e posicionamento dos ombros e corpo são marcantes.

Valorização da natureza

As histórias românticas costumam contar cenários mais naturalistas, como campos, jardins e florestas. Essa valorização da natureza pode ser vista em peças como Giselle, em que o local é muito importante para a narrativa. La Sylphide, a primeira obra do grande ballet romântico, é outro exemplo clássico, pois os seres que têm asas precisam estar em uma floresta para que a história faça mais sentido. 

Muitas características foram sendo modificadas com o passar dos séculos, mas a essência permanece a mesma. Não é à toa que o ballet clássico continua encantando as pessoas mundo afora. No entanto, os figurinos são muito importantes nas apresentações, e você pode encontrar os trajes certos na Evidence!

Aproveite e conheça as peças e principais coleções da Evidence Ballet e adquira seus trajes!

Collant - Evidence Ballet