Conheça a importância da improvisação na dança

Na maioria das vezes, as danças são coreografadas, especialmente quando realizadas por profissionais ou em espetáculos. Porém, é comum que em certos momentos, os dançarinos sintam vontade ou necessidade de fluir livremente, carregados pelo ritmo da música e as emoções evocadas por ela, isso se chama improvisação na dança.

Não se engane ao pensar que a improvisação é feita de qualquer jeito. Na verdade, quando um bailarino se permite improvisar, ele pode até desligar o cérebro e os movimentos decorados, mas ele usa outro órgão para criar sua própria dança: o coração.

Este artigo vai lhe mostrar os 4 maiores benefícios da improvisação na dança e as principais técnicas desta prática, para que você fique por dentro das melhores formas de praticar a libertação dos seus movimentos para dançar de acordo com suas emoções.

Melhora a consciência corporal

O bailarino que improvisa na dança permite que o corpo fale por si e se movimente com mais liberdade e confiança, elevando sua consciência corporal através da exploração de novas possibilidades e compreensão de como cada parte do corpo se expressa através da improvisação na dança.

Estimula a criatividade

Quando uma dança não tem coreografia, o bailarino sente-se totalmente livre para criar seus próprios passos, permitindo que a criatividade e a emoção se aflorem para criar movimentos leves e naturais, desenvolvidos de acordo com as batidas da música.

Melhora a interação com outras pessoas

A improvisação na dança também pode ser praticada em grupo e espaços públicos, permitindo a interação com outros bailarinos e até espectadores. O improvisador busca interagir com o olhar e as emoções do outro, fazendo-o sentir todos os movimentos e até o incentivando a dançar também.

Desenvolve a sensibilidade

O bailarino que dança sem coreografia busca se conectar com a música com o objetivo de senti-la por completo e expressar esses sentimentos através dos passos criados.

Isso permite o desenvolvimento das percepções e a expressão das emoções do artista durante a improvisação, que resulta em movimentos naturais, que podem ser mais leves ou viscerais, de acordo com os sentimentos do momento.

Técnicas de improvisação

Apesar da falta de coreografias, ainda existem algumas técnicas para a improvisação na dança. São elas:

Acordados

Nesta modalidade, alguns acordes pré-determinados ajudam o bailarino na execução de seus passos seguindo um padrão.

Sem acordo

Já na modalidade sem acordos, não existe nenhuma regra ou padrão, e a dança é criada na hora.

Processo criativo sem roteiro

A dança é criada de forma totalmente livre, sem regras ou padrões, sendo baseada simplesmente em tudo que o bailarino está sentindo no momento.

Processo criativo com roteiro

Já nesta modalidade, há um roteiro básico para guiar a apresentação, embora ainda exista liberdade na execução dos movimentos.

A improvisação na dança é uma ótima maneira de experimentar a liberdade e as emoções do movimento para criar lindas danças que evidenciam a personalidade do dançarino. Independente da modalidade ou tipo de dança escolhida, o importante é se divertir e expressar seus sentimentos através da música e dos movimentos.

Agora que você já conhece os principais benefícios e técnicas de improvisação na dança, compartilhe este artigo em suas redes sociais para que seus amigos, dançarinos profissionais ou não, conheçam melhor essa modalidade e passem a experimentar a liberdade nos movimentos, seja em um palco de um espetáculo, uma boate ou dentro do próprio quarto, diante do espelho.