Ballet Quebra-Nozes: saiba como é realizado e as técnicas envolvidas

Piotr Tchaikovsky é um nome conhecido e obrigatório para quem ama e pratica ballet. Afinal, esse compositor, nascido ainda no século XIX, transformou a história da dança com uma das mais relevantes criações de todos os tempos: o Ballet Quebra-Nozes.

Como você sabe, existe uma forte relação dessa versão com as tradições natalinas. E não só na Rússia, terra de Tchaikovsky, mas no mundo inteiro. Ao longo do tempo, tal costume continuou a se fortalecer. Prova disso é que quase 130 anos depois da primeira apresentação, o Quebra-Nozes segue firme e forte.

Se você quer ficar ainda mais por dentro do assunto, permaneça conosco no texto e entenda melhor a origem, as diferentes versões, técnicas e estilos pertencentes ao Quebra-Nozes. Boa leitura!

Qual é a origem do Ballet Quebra-Nozes?

Para retornar ao surgimento real, precisamos voltar ao longínquo ano de 1844. Foi quando uma história de conto de fadas alemã passou por tradução para o francês, por Alexandre Dumas. Contudo, a ligação com o ballet só veio, de fato, em 1892.

Apenas na última década do século, Tchaikovsky fez o conto ser um ballet, com a coreografia sob comando da lenda Marius Petipa. O russo teve influência pesada de Ivan Vsevolojski, então diretor dos Teatros Imperiais de São Petersburgo. Tudo resultou na estreia ocorrida em dezembro daquele ano.

No entanto, a história da criação do Quebra-Nozes carrega um fato a se lamentar. Pela temática de caráter infantil, Tchaikovsky inicialmente não gostou tanto da ideia proposta, só aceitou porque poderia lançá-la em conjunto com a chamada Ópera Iolanta. Dentro de um curto espaço de um mês, estava divulgado o projeto duplo.

Falecido em novembro de 1893, o criador do espetáculo nunca teve a real dimensão do impacto positivo e inesperado da obra. Isso porque, no começo, os críticos não absorveram com a mesma receptividade conquistada tempo depois. De qualquer forma, o nome de Tchaikovsky já estava gravado na história.

Como o Ballet Quebra-Nozes é realizado?

Uma festa de Natal que acontece antes da virada para o século XX, na Alemanha, é o pano de fundo do Quebra-Nozes. A família Stahlbaum festeja a data e uma das filhas, Clara, ganha um quebra-nozes de presente, que se veste como um soldado, chamando a atenção do irmão, Fritz.

Ao tomar o presente da irmã, Fritz o quebra e deixa a menina triste e chorosa, mas seu padrinho, que deu o brinquedo, trata de tranquilizá-la. Mas muita coisa ocorre: o Quebra-Nozes ganha vida antes de ser morto por ratos. Só que, em seguida, ele se transforma em príncipe e vai com Clara até um reino encantado. A última reviravolta da história: a menina acorda e nota que tudo era um sonho.

Versões

Cinco versões merecem destaque ao falar do Ballet Quebra-Nozes. Veja:

  • Royal Ballet, 1984 — Peter Wright mantém partes originais, mas trata a relação entre Clara e o Quebra-Nozes com traços de uma história de primeiro amor;
  • Jofrey Ballet, 1893 — Chistopher Wheeldon transmite o conto original aos imigrantes;
  • Joburg Ballet — mostra-se a Clara a beleza e os encantos da África, com o Quebra-Nozes sendo transformado em um curandeiro sul-africano;
  • Ballet Nacional da China — Fritz é Tuantuan e, durante as celebrações do Ano Novo Chinês, intimida Clara, nomeada Yuanyuan, enquanto dragões e tigres fazem parte do imaginário de “ataque contra defesa”;
  • Ópera de Paris — Nureyev elimina a Fada Açucarada, que integra a história original, e também o reino dos doces. Nesse conto, poucos aspectos do começo são preservados.

Conhecer a origem e o desenrolo da história do Ballet Quebra-Nozes é incrível, principalmente para quem ama a dança. No Rio de Janeiro, o Theatro Municipal chegou a fazer uma apresentação online. Pela Europa, em Genebra ou Londres, o Quebra-Nozes também costuma aparecer nos espetáculos. Vale a pena pesquisar e conferir.

Se gostou do post, aproveite a visita ao blog e compartilhe o conteúdo nas suas redes sociais!