Penteado de bailarina: 4 ideias para você se inspirar

O ballet remete à leveza, graciosidade e à composição do uniforme. Entre sapatilhas, tutu e collant, o coque, famoso penteado de bailarina, não pode ficar de fora, pois já é marca registrada de quem pratica a dança clássica!

Ele pode ter vários estilos, sem que a bailarina fique presa àquele tradicional rabo de cavalo enrolado em espiral. Além disso, os coques são ótimas opções que ultrapassam as aulas de ballet.

Os altos, no topo da cabeça, por exemplo, são perfeitos para compor looks estilosos e minimalistas, com vestidos longos e acessórios de festa, pois deixam a postura elegante, alongam o colo e destacam ombros. No dia a dia, todo coque é ideal para melhorar a aparência dos fios, pois são penteados práticos e bonitos tanto para o trabalho quanto momentos informais.

Pronta para aprender quatro ideias perfeitas sobre o famoso penteado de bailarina? Siga as nossas dicas e arrase tanto nas barras e piruetas, quanto em festas e no escritório!

Penteado de bailarina: material para um belo coque

O primeiro passo é ter em mãos os itens necessários por perto. Isso vai facilitar a produção e auxiliar um retoque caso alguns fios se soltem, por exemplo.

Na nécessaire de uma bailarina precisam constar:

  • Leave-in, creme para pentear ou gel;
  • arranjos de pérolas, com florzinhas e strass;
  • laços e fitas;
  • borrifador com água ou spray fixador;
  • redinha;
  • grampos (da cor do cabelo);
  • elásticos de cabelo;
  • rosquinha de espuma;
  • escova.

4 ideias de penteados de bailarina

Desde os mais sofisticados aos mais despojados, os coques podem ajudar a compor produções incríveis. Separamos quatro tipos de penteado de bailarina, fáceis de fazer, para você compor looks simples e elegantes, sem errar!

Coque de bailarina clássico

Se o cabelo estiver molhado, seque-o completamente. Em seguida, faça um rabo de cavalo bem firme, na altura das orelhas. Enrole todo o rabo de cavalo em uma mecha torcida, formando, na sequência, um espiral que contorne todo o elástico.

Prenda todo o entorno do coque com grampos, até sentir que ele está completamente firme na cabeça (uma dica é balançar a cabeça para testar). Finalize com gel, spray ou creme para pentear e coloque a redinha. Se quiser, enfeite com laços ou fitas.

Coque estilo camponesa

Reparta o cabelo em quatro partes iguais. Prenda cada mecha com um elástico, fazendo quatro marias-chiquinhas (duas na frente mais baixas e duas atrás mais altas).

Faça uma trança em cada mecha da frente e, puxando para trás, entrelace, em ziguezague, com as marias-chiquinhas da parte posterior da cabeça. Vá prendendo com grampos, incluindo as pontas.

Faça tranças com as mechas de trás e entrelace em volta das tranças já presas. Prenda com grampos e borrife um finalizador. Se quiser deixa o coque mais bonito, coloque um arranjo de florzinha.

Coque com duas trancinhas

Divida o cabelo ao meio e faça duas pequenas tranças – normais ou embutidas – apenas na frente (franja). Prenda as trancinhas com grampos para ficarem bem firmes na cabeça e, depois, prenda todo o cabelo em um rabo de cavalo.

Siga os passos do coque clássico para prender o cabelo e finalizar.

Coque com espuma

A produção é semelhante ao coque de bailarina clássico. A diferença é que, após fazer o rabo de cavalo (que deve ser alto, no topo da cabeça), coloque a rosquinha de espuma em volta dele para, então, enrolar a mecha em volta da rosquinha.

Esse coque é muito utilizado em produções de festa e como arranjos de casamento, pois fica elegante e fashion. Para aulas de ballet, coloque uma redinha.

Seja clássico, de camponesa ou com trancinhas, os coques são perfeitos para manter o cabelo sempre arrumado e bonito. Para as bailarinas, vai além de uma questão estética, pois o coque ajuda a manter viva a tradição do uniforme clássico e auxilia o rendimento na dança.

Cabelos soltos podem atrapalhar os movimentos ao cobrir olhos e grudar no pescoço, tirando a concentração necessária da bailarina. Nas aulas, um bom penteado de bailarina também ajuda o professor a observar a postura e os movimentos, corrigindo a aluna no que for preciso.

Gostou do artigo? Compartilhe no Facebook e Instagram essas dicas sobre coques perfeitos para todas as ocasiões!