Desafios da rotina de uma bailarina profissional

Diego
30 de maio de 2018
0 73 views

Entenda e prepare-se para os dilemas, dificuldades e prazeres que a carreira traz

Amor. Determinação. Persistência. A vida de uma bailarina é cheia de nuances, de altos e baixos. Vista de longe pode até parecer uma rotina recheada de glamour e viagens. Mas quem acompanha de perto sabe que nem tudo são flores. Mesmo na iniciação ao ballet, muitas alunas já começam a se deparar com os desafios. Elas aprendem que a disciplina é um dos traços mais marcantes da modalidade. Ao longo do tempo, entendem que é preciso manter o condicionamento físico e as dietas são inevitáveis. Ao subir na ponta pela primeira vez, percebem que a dor nos pés é algo que irá acompanhá-la por toda a carreira.

Que a dança é uma verdadeira paixão e um prazer indescritível, isso não se discute. Mas é preciso estar ciente das dificuldades que o ballet irá impor ao seu corpo, mente e relacionamentos em geral. Isso, claro, se decidir seguir carreira profissional. Por isso, levantamos algumas questões que abrangem esse universo.

Por amor vale tudo!

Ser bailarina é aprender a conviver com a dor. Principalmente (e obviamente) nos pés, mas não só. Quadril, joelhos e articulações também são os lugares que mais se sente o cansaço e também o impacto dos saltos. É possível amenizar esses efeitos com fisioterapias ou pilates (entenda os benefícios dessa prática), mas saiba que eles voltarão no treino seguinte. A propósito, uma bailarina profissional treina em média 6h por dia, entre aquecimento, prática e ensaio. Isso também explica as dores constantes.

Aproveite para conferir dicas para evitar contusões no ballet

Entre derrotas e vitórias

Você ama dançar. Mas muitas outras pessoas também amam. A competitividade no mundo do ballet é algo que bailarinos precisam estar habituados. Afinal, há vários concursos, festivais e seletivas que irão acontecer, caso busque destaque no mundo da dança. Com eles vêm as conquistas, mas também os grandes fracassos. O dançarino que não estiver psicologicamente preparado para isso, precisa repensar a profissão. Por isso a persistência é uma característica muito particular de quem escolhe a carreira do ballet.

Aproveite todos os pequenos momentos em família

Se na sua família há algum profissional da dança, provavelmente vocês não se encontram nos aniversários ou noites de Natal. Isso porque a agenda de espetáculos geralmente segue os finais de semana. Ou seja, sábado e domingo são dias de trabalho normais para bailarinos. E por falar em família, é importante saber que uma carreira internacional irá provavelmente te distanciar (geograficamente) das pessoas que ama. Até mesmo relacionamentos amorosos serão mais difíceis, devido à rotatividade das companhias de dança.

Saiba que isso não é um texto para fazer futuras bailarinas desistirem de seguir carreira. Muito pelo contrário. A ideia é deixá-las preparadas para os desafios que o mundo do ballet profissional poderá trazer. Aliás, pense de outra forma. Se, mesmo com tantos obstáculos, as pessoas ainda optam por esse caminho, é porque o esforço guarda uma grande recompensa. Levar arte às pessoas e mexer com suas emoções por meio de grandes performances não é para qualquer um. Por isso não desista, o ballet é para os apaixonados.

Quer saber mais sobre como tornar-se um profissional da dança? Clique aqui e veja dicas de como seguir esse sonho. Veja também como conseguir o seu DRT.