Conheça 5 danças espanholas que você pode começar a praticar!

Para ser uma bailarina de sucesso, o conhecimento sobre diferentes expressões, envolvendo suas origens e contextos, cumpre um papel muito importante. Ao falar desse fenômeno global, vários países merecem destaque. É o caso, por exemplo, da Espanha. Elegância e sensualidade são notáveis na riquíssima cultura espanhola. As danças oriundas da nação ibérica viraram, com o passar do tempo, tradições bastante famosas ao redor do mundo. Como consequência, têm alta influência no universo da arte.

As 5 danças espanholas que você verá, a seguir no post, carregam características únicas. Em determinados elementos, se assemelham às de outros lugares da Europa, mas também lembram detalhes da América Latina.

Continue conosco e saiba mais sobre os exemplos!

1. Bolero

Existem duas vertentes de bolero: uma é cubana e a outra espanhola. Estudiosos consideram esse estilo como o pioneiro da categoria de danças de salão, daí sua relevância no cenário artístico. Ainda durante o período de dominação dos mouros na Espanha, o bolero já dava os primeiros passos para se tornar popular.

Bastante comum em academias e salões aqui no Brasil, o ritmo se caracteriza pela fluidez dos movimentos aliada a voltas inesperadas e pausas rápidas. A dança do bolero acontece em casais, com o figurino da mulher consistindo em peças facilitadoras da dança: saias e vestidos, especialmente.

2. Flamenco

Nossa lista não tem ordem de importância ou influência. Afinal, caso existisse essa classificação, o flamenco ocuparia o primeiro lugar, pois, entre as danças espanholas, é a mais conhecida ao nível global.

O flamenco carrega características da cultura de povos como os judeus, os mouros e os ciganos, usando castanholas para integrar o espetáculo ao lado de itens de percussão. Na prática, são passos velozes, repletos de sensualidade e técnica, além de giros ao redor do próprio corpo e movimento dos braços. A vestimenta é baseada nos vestidos femininos.

3. Zarzuela

Estilo de performance clássica, englobando inclusive a música lírica, a zarzuela tem suas origens quem remetem ao século XVII. O nome diz respeito ao Teatro Zarzuela, em Madrid. Ao longo da Guerra Civil Espanhola, a dança vivenciou anos de ostracismo, mas teve forças para voltar a fazer sucesso nas décadas de 50 e 60.

4. Pasodoble

Nascido lá no século XVI, o pasodoble está diretamente conectado ao ritmo e ao famoso movimento das touradas como um todo. Sempre celebrada em casais, a dança retrata o espírito do toureiro que conduz a dama.

Elegância e alegria são representados nos movimentos do pasodoble, que tem passos bastante característicos. No figurino, as mulheres vestem saias cheias quase sempre vermelhas, enquanto o dançarino busca criar semelhanças com o estereótipo do toureiro: calças de bolero, gravata e camisa branca.

5. Zambra

Se precisássemos definir a zambra em apenas uma palavra, ela provavelmente seria ”exótica”. Entre as danças espanholas, essa aqui se destaca por ser uma espécie de ramificação do flamenco. A criação tem origem na cidade de Granada, na bela região da Andaluzia, onde havia uma forte presença da comunidade cigana.

A zambra também remete a alguns ritmos praticados por descendentes de muçulmanos e consegue explorar bastante a atuação das mulheres. São movimentos misturados da dança do ventre com o estilo espanhol, gerando um espetáculo vistoso de acompanhar.

Conforme observamos ao longo do post, as danças espanholas costumam apresentar movimentos elegantes e sensuais. Eles resultam da mescla de inúmeras referências, como ritmos típicos de ex-colônias do país ibérico, desenvolvendo uma forma única e incrível de expressão cultural.

Gostou do conteúdo? Quer conferir novos materiais de valor via e-mail? Então, aproveite a visita ao blog e assine a nossa newsletter!