Contusão, distensão e outras: descubra as lesões comuns no ballet e como evitar

Existem várias situações que podem resultar em lesões no ballet ou em outras atividades físicas. É importante ter atenção a esse tipo de acontecimento, tanto no sentido de preveni-lo como de buscar ajuda profissional após esse acontecimento tão desagradável na vida de bailarinos — além de, claro, ficar em repouso até se recuperar.

Como o ballet envolve muita repetição dos movimentos e exige muito das articulações e da musculatura, é comum que aconteçam desgastes e danos repentinos acidentais. No entanto, isso não deve ser encarado de forma banal, já que não ter cuidado pode resultar em um bom tempo sem poder dançar ou até mesmo em lesões permanentes.

Neste conteúdo, você vai entender que lesões são comuns no ballet, quais as possíveis causas e como preveni-las. Acompanhe!

Quais são as possíveis causas de lesões no ballet?

Para nos ajudar a compreender as causas de lesões no ballet, a educadora física Inês Alice Pedreschi (CREF 077018-G/SP) listou as causas mais comuns que podem levar a uma contusão.

A lesão ocasionada pela prática esportiva pode ter ligação com o método de treino incorreto ou anomalias estruturais que forçam mais algumas partes do corpo. Também pode acontecer devido a fatores ambientais ou musculares. Veja mais detalhes a seguir!

Causas ambientais

As causas ambientais dizem respeito a aquelas características do espaço físico utilizado pelo atleta, como o tipo de piso usado nos estúdios de dança. Um piso muito liso, por exemplo, embora ideal para algumas práticas, pode resultar em acidentes por derrapagem.

Temperaturas baixas também podem ser prejudiciais, o que aponta para a necessidade de um cuidado com o uso de ar-condicionado. No frio, os músculos tendem a uma tensão maior, o que pode deixá-los mais propensos a lesões diante de esforços muito intensos.

Causas anatômicas

As causas anatômicas devem-se as características físicas individuais dos bailarinos. É possível que, devido ao formato de uma ou outra parte do corpo, um atleta fique mais propenso a lesioná-la com determinados movimentos.

Causas biomecânicas

Lesões de ordem biomecânica acontecem devido a desequilíbrios musculares em torno das articulações. Muitas vezes, um atleta se lesiona devido a uma fraqueza muscular na região que acaba machucada. Nesse caso, é importante investir em exercícios específicos para o fortalecimento local.

Causas técnicas

A falta de prática de atividade física, a insuficiência do aquecimento ou a execução inadequada de movimentos são causas muito comuns de lesões na dança. Então, além de ser importante para uma boa performance, a técnica é fundamental para garantir a segurança dos bailarinos.

Quais são as lesões mais comuns e como preveni-las?

Existem algumas lesões que aparecem com frequência em quem dança ballet, e talvez você até tenha sofrido com uma ou mais delas. Confira, a seguir, as lesões mais comuns no ballet e o que você pode fazer para preveni-las.

Distensões musculares

A distensão muscular deve ser o acontecimento mais comum entre bailarinos, mas também é o mais fácil de prevenir com um aquecimento adequado.

Subir e descer escadas, dar uma corridinha de um ou dois minutos ao redor da sala de aula, ou fazer polichinelos antes de começar a puxar as pernas são ótimas atividades para preparar a musculatura.

Contusões

A contusão acontece, basicamente, por uma pancada. É uma consequência comum de quedas, e os sinais de contusão são inchaço do local que levou a pancada, vermelhidão e, às vezes, um hematoma. Além disso, o local fica dolorido.

Quando isso acontece, é importante aplicar gelo na região de imediato. A prevenção é algo mais complicado quando se trata de contusões, já que qualquer um pode se desequilibrar. No entanto, é possível minimizar riscos — por exemplo, garantindo uma boa técnica e evitando sapatilhas ou pisos que derrapem muito.

Lesões articulares

Extremamente comuns devido ao nível de exigência do ballet em relação às articulações, as lesões articulares podem causar dor por períodos prolongados e forçar dançarinos a ficar em repouso.

Regiões comumente atingidas são:

  • pés;
  • tornozelos;
  • joelhos;
  • lombar (que também pode doer devido a fraqueza muscular e técnica inadequada).

Em boa parte dos casos, as lesões articulares acontecem pelas causas biomecânicas mencionadas anteriormente. Ou seja: a musculatura em volta da articulação não está forte o suficiente para dar a ela o suporte necessário. Nesse contexto, é imprescindível investir no fortalecimento muscular para prevenir lesões futuras.

O que mais pode ajudar a evitar lesões no ballet?

Como você percebeu ao longo do texto, o fortalecimento muscular tem destaque quando o assunto é a prevenção de lesões na prática de atividade física e na dança. Isso é importante principalmente nos membros inferiores, que sustentam o peso do corpo e, com isso, acabam sobrecarregados às vezes.

Vale relembrar, também, que uma boa sessão de aquecimento e alongamento é fundamental para que a musculatura esteja preparada para toda a intensidade e a flexibilidade exigidas no ballet. É importante que o aquecimento venha primeiro, pois alongar os músculos despreparados pode resultar em lesões.

Em relação aos alongamentos, Inês Alice Pedreschi tem uma dica preciosa: cada alongamento deve durar cerca de 30 segundos, que é o tempo necessário, em média, para que os tecidos se alonguem com segurança. Mas, nos casos de músculos mais tensos, mantenha o alongamento por pelo menos 60 segundos.

Outro ponto importante a ser retomado é a técnica: com a execução correta dos movimentos, as chances de lesões são muito menores. Então treine muito e comece devagar novos aprendizados, para garantir uma boa consolidação da técnica.

Além de tudo isso, há algo que pode ajudar muito a garantir um desempenho mais seguro: os equipamentos e acessórios corretos. Por exemplo, com a sapatilha adequada, você corre menos risco de lesionar o pé ou o tornozelo. A roupa também precisa ser adequada: uma roupa desconfortável pode atrapalhar os movimentos, resultando em uma execução inadequada — o que pode gerar lesões.

As lesões no ballet tendem a diminuir em termos de frequência e probabilidade à medida em que você pratica. Com o treino, você aperfeiçoa a técnica e ganha consciência corporal, o que resulta em mais controle do seu corpo e dos movimentos. No entanto, os cuidados para evitar lesões devem continuar, e você deve sempre respeitas os limites do seu corpo, combinado?

Se você gostou deste conteúdo e quer acompanhar nossas novidades, curta a nossa página no Facebook!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *