Passo Fouetté: saiba como é um dos passos mais lindos do ballet

Diego
2 de julho de 2018
0 19 views

Se você sonha em se tornar uma bailarina de alta performance e ofuscar os olhos de seus espectadores ao subir ao palco, com certeza já ouviu falar do famoso passo Fouetté.

Fouetté significa “chicote”: é um movimento giratório desenvolvido em séries em que a perna de trabalho é estendida (chicoteia) para o lado à medida que o bailarino gira sobre a perna de apoio e se fecha novamente no passé. Difícil, não é?

A gente sabe que girar 32 Fouettés com excelência não é tarefa simples e vai exigir de você força, resistência, concentração, postura e principalmente muito treino.

Pensando nisso, listamos 4 dicas para você colocar em prática agora mesmo e começar a executar com elegância um dos passos mais lindos e famosos do ballet. Confira!

Preze pela sua segurança

Até o bailarino mais experiente precisa passar por todas as fases do processo de aprendizagem do passo. É preciso dedicar-se de verdade à preparação inicial para garantir que você esteja pronto para executar o Fouetté com segurança.

Comece treinando na barra o posicionamento da perna de trabalho, braços e rotação da cabeça. Isso vai ajudar seu corpo a se familiarizar com o movimento, além de fortalecer pés e tornozelos.

Quando se sentir seguro, ensaie os giros ainda próximo à barra. Seus pés já são bastante desgastados no decorrer dos treinos diários e não queremos que você se machuque caso perca o equilíbrio. Invista também em sapatilhas de qualidade e conserve-as com carinho. Aliás, você sabia que uma palmilha com curva arqueada confere mais precisão para subir os pés?

Faça um trabalho de fortalecimento

O Fouetté é um passo que exige muito dos tornozelos e da perna de trabalho dos bailarinos. Para prevenir lesões, é preciso investir no fortalecimento durante o treino na barra e focar em diversos exercícios. Treine sempre os retirés e as piruetas en dehors e suba em elevé com um pé mantendo o outro em coupé. Fazer plié forçando o colo do pé para baixo também é uma boa pedida. Ah, e não se esqueça do alongamento.

Desenvolva a coordenação dos movimentos

Comece o Fouetté empurrando o pé para impulsionar o torque. O atrito criado entre sapatilha-chão/corpo-ar vai diminuir a velocidade do movimento. Então, quando voltar à posição inicial após o primeiro giro, pause por uma fração de segundo enquanto o pé de apoio se achata e em seguida gira à medida que sobe novamente.

O centro de gravidade do seu corpo deve se manter constante ao mesmo tempo em que os braços se abrem para te ajudar a manter o equilíbrio. Não se esqueça de puxar o retiré rapidamente, afundar o plié no fondue e de que você não deve mexer o quadril.

Repita o passo quantas vezes forem necessárias

Já ouviu aquele ditado que diz que a prática leva à perfeição? Pois é aí que mora o segredo. Por ser um passo de difícil execução, é recomendado que você o pratique quantas vezes forem necessárias até pegar o jeito. Mas lembre-se de respeitar os limites do seu corpo e de dar-lhe o merecido e necessário descanso. Manter a regularidade no treino é importantíssimo para aperfeiçoar os movimentos, mas reservar um tempo para fazer outras coisas de que gosta vai te fazer muito bem.

Seguindo essas dicas, você vai tirar de letra o aprendizado desse passo lindíssimo e fazer um Fouetté — ou quem sabe 32 — com uma excelente desenvoltura. Tenha em mente que você deve sempre prezar pela sua segurança em primeiro lugar e ter paciência consigo mesma, ok?

E então, o que achou das nossas dicas sobre o passo Fouetté? Conta pra gente nos comentários!