Exemplos de bailarinas brasileiras para conhecer e se inspirar

Trabalhar com dança é uma carreira cheia de encantos, sobretudo no ballet. Encontrar figuras inspiradoras é uma das maneiras para ter mais motivação em seguir dançando — e há bailarinas brasileiras que tiveram um longo percurso para chegar até os níveis mais altos.

A vida de bailarina não é fácil. Muitas dessas dançarinas dedicaram suas vidas para que pudessem atingir um nível de profissionalismo admirável. Portanto, não é à toa que elas conseguiram ganhar destaque nacional e internacionalmente. 

Por isso, confira 4 bailarinas brasileiras que você precisa conhecer para se inspirar!

1. Ana Botafogo

É impossível não começar este conteúdo dando destaque para uma das maiores bailarinas do país! 

Ana Botafogo é um dos principais nomes do ballet clássico brasileiro. A carioca começou na dança aos seis anos e quando chegou aos onze já se apresentava em um dos principais palcos do país: o Theatro Municipal do Rio de Janeiro. 

A partir disso, logo ela alçou voos internacionais e passou a se apresentar em outros países, e inclusive viveu em Londres e na França. Nesses lugares, a bailarina se apresentou em clássicos como Romeu e Julieta, O Quebra-Nozes e O Lago dos Cisnes. 

Ana se tornou a primeira bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e se pendurou as sapatilhas aos 38 anos. Contudo, continuou por trás cortinas, dirigindo espetáculos ao lado de Cecília Kerche. 

2. Cecília Kerche

Além de Ana Botafogo, Cecília é uma das maiores bailarinas clássicas da América Latina. Após estudar as técnicas de ballet clássico, ela entrou no elenco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 1982. A partir disso, a dançarina se tornou a primeira bailarina do teatro, em 1985. 

Cecília tem uma vida dedicada à dança, em que passou mais de 30 anos participando de festivais nacionais e internacionais. Diferentemente do que dizem sobre as bailarinas terem carreiras curtas, ela provou o contrário. 

Atualmente, Cecília é ensaiadora do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e também é Embaixatriz da Dança na cidade, além de ser curadora artística no Festival de Dança de Joinville. 

3. Márcia Haydée

Mais uma carioca na lista, Márcia Haydée nasceu em Niterói, em 1937. Ela começou a ter aulas de ballet clássico com apenas três anos de idade, e aos 16 já estava se apresentando no Royal Ballet School, em Londres.

Poucos anos depois Márcia entrou para o Ballet de Stuttgart, onde foi solista por 13 anos. Assim, se tornou uma estrela internacional e dançou em obras como A Megera Domada, Romeu e Julieta e até o filme Dama das Camélias, de John Neumeier.

4. Toshie Kobayashi

Nascida em São Paulo, Toshie Kobayashi iniciou os estudos no ballet aos sete anos. Ela começou na escola italiana, sob o método de Enrico Cecchetti. Aos 10 anos ela já estava na Escola Municipal de Bailados (atual Escola de Dança de São Paulo) e fez parte da primeira geração de bailarinos da escola.

Depois disso, também se tornou docente na instituição e chegou a formar mais de 1.000 bailarinos, que conseguiram se destacar a nível nacional e internacional. A partir dos 1990, Toshie começa a colaborar no Festival de Dança de Joinville e também ministrava cursos na Escola de Teatro Bolshoi, a única unidade fora da Rússia.

Conhecer as histórias de bailarinas brasileiras que conseguiram se destacar na dança é algo inspirador. Então, o que acha que começar a usar essas dançarinas como referências para dar impulsionar a sua carreira?

Então, aproveite também e descubra como se tornar uma bailarina famosa!

Banner evidence sapatilhas