Estilo de dança: saiba como escolher o que mais combina com você

Você já deve ter ouvido falar que dançar é um ótimo exercício e proporciona muitos benefícios para o corpo. Mas sabia que existem inúmeros estilos dentro da dança? Cada tipo atende melhor a um perfil de dançarino, e fazer a escolha certa pode ser um desafio.

Se você não sabe por onde começar e já se perguntou qual seria o estilo de dança que mais combina com você, separamos algumas dicas que vão ajudar nessa escolha. Boa leitura!

Quais são os estilos de dança?

São incontáveis os gêneros de dança que podemos encontrar nas escolas, cada estilo exige um perfil diferente de bailarino. As danças de espetáculo como ballet clássico e jazz, por exemplo, necessitam de muita técnica, elegância e precisão.

Já para quem gosta de bailes e dança a dois, uma ótima alternativa é a dança de salão. Ela nasceu nos bailes e, com o passar dos anos, acabou sendo reconhecida como esporte, chegando a diversos festivais e competições ao redor do mundo. Entre as danças de salão mais populares estão a salsa, o ballet, break dance, a dança do ventre, sapateado, zumba, samba, tango, flamenco e o samba de gafieira.

Outro estilo muito interessante são as danças folclóricas, transmitidas de geração em geração, que possibilitam a integração cultural de diferentes povos. Entre elas, podemos citar a tarantela italiana, o frevo e o maracatu, por exemplo.

O que considerar na hora de escolher?

Como vimos nos exemplos acima, muitos são os estilos dessa arte: dança de salão, de rua, folclóricas, clássicas — basta você escolher o que mais combina com o seu perfil. Para auxiliar nesse processo, separamos 3 pontos para levar em conta antes de optar pelo tipo que oferecerá mais benefícios. Confira!

Objetivo

Antes de fazer sua escolha, tenha em mente qual objetivo você deseja alcançar com as aulas. Quem busca o emagrecimento pode apostar em estilos que queimam mais calorias, tais como a dança do ventre, dança de salão e sapateado.

Se pretende melhorar a postura, opte pelo ballet clássico, ou danças de salão como o ritmo argentino ou a valsa. Para quem quer se divertir e descontrair, vale apostar nas aulas de forró, samba-rock ou sertanejo.

Gosto musical

A música é parte fundamental em qualquer aula de dança. Por isso, quando for escolher uma, pense bem se você gosta e tem afinidade com o estilo musical ligado a ela.

Não adianta fazer uma aula de funk se você não se sente confortável e descontraído com esse tipo de música. A mesma coisa se aplica ao ballet clássico: se você fica com sono ao ouvir uma sinfonia, pode ser que esse estilo não seja o ideal para você.

Preparo físico

Antes de mais nada, é preciso fazer uma avaliação médica para entender qual o seu preparo físico. Quem sofre com problemas nos joelhos ou articulações, deve ter cuidados especiais e optar pelos estilos que tenham menos impacto. Além disso, é recomendado praticar a dança em dias alternados, três vezes por semana.

Quais são os benefícios da dança para corpo e mente?

Dançar, além de muito divertido, é um ótimo exercício. A prática fortalece a saúde física e mental e aumenta a longevidade. Dependendo da frequência e intensidade, e combinada a uma boa alimentação, a dança é também uma excelente aliada na perda de peso. A seguir, confira alguns benefícios proporcionados por essa arte.

Aperfeiçoa a coordenação motora

Dançar ajuda o praticante a ter total domínio do corpo, o que inclui uma grande melhora na coordenação motora e na consciência corporal. Isso porque as aulas ensinam passos de coreografia que precisam ser executados de forma impecável e só com muito controle é possível realizá-los.

Trabalha diferentes membros

Uma coreografia exige movimentos distintos e de várias partes do corpo, às vezes até ao mesmo tempo. Isso significa que diversos membros serão usados durante a prática e serão tonificados, assim seus músculos se tornarão mais flexíveis e saudáveis.

Melhora a postura

Independentemente do tipo de dança escolhido, a execução dos passos exige certa postura corporal e, quanto mais o aluno treina, mais consegue mantê-la correta durante o dia a dia. Além disso, essa melhora proporciona mais aceitação da imagem corporal, uma vez que os benefícios serão sentidos cada vez mais, e a relação corpo e mente será trabalhada beneficamente.

Desenvolve a flexibilidade

Os movimentos efetuados nas aulas de dança não são pensados somente para serem agradáveis esteticamente. Quanto mais o aluno praticá-los, mais conseguirá um aumento na flexibilidade e, consequentemente, redução na rigidez dos músculos. Isso significa sentir menos dores nas articulações e após os exercícios.

Quais são os melhores tipos de dança para crianças e idosos?

A dança, como qualquer prática de esporte, não tem limite de idade e pode ser feita por qualquer pessoa interessada. Por esse motivo, a seguir, você confere os melhores tipos de dança para crianças e idosos praticarem.

Dança de salão

O que vem à sua mente quando pensa na dança de salão? Bastante elegância, não é mesmo? Por esse motivo, ela é muito indicada para os idosos. Com coreografias finas, roupas elegantes e bem bonitas, ela pode auxiliar os dançarinos dessa idade nas habilidades sociais e de comunicação, além do aumento da consciência corporal.

Zumba

Esse estilo é benéfico para todas as idades e pode ser praticado por qualquer pessoa que esteja interessada em agitar o corpo. Para os idosos, os movimentos da zumba são capazes de devolver a vitalidade à rotina do praticante. Já para as crianças, auxilia no gasto de energia e promove todos os benefícios acima citados, além de ser uma boa forma de desenvolver a paixão pela dança nelas.

Jazz

Estilo de dança que fez muito sucesso durante os anos 60, essa modalidade é ótima tanto para as crianças quanto para os mais idosos. Por conta dos seus movimentos rápidos e bastante ritmados, o jazz consegue devolver a vitalidade a qualquer pessoa que investir nessa aula, independentemente da idade.

Para as crianças, essa dança auxilia no desenvolvimento motor e na noção de espaço e melhora a criatividade. Por ser trabalhada de forma muito lúdica, a técnica do jazz também estimula a autoestima dos alunos nessa faixa etária.

Ballet

Quem acha que o balé é uma modalidade só para os mais jovens está muito enganado. Cada vez mais os idosos estão se rendendo a esse estilo de dança, chamado de ballet adulto, que promove vários benefícios a quem o pratica, como o fortalecimento progressivo das articulações e dos músculos, além de melhorar a qualidade de vida no geral.

Fazer aulas de dança é a decisão certa para uma vida mais saudável e tranquila, mas a escolha do melhor tipo vai depender muito do seu perfil. É sempre válido participar de aulas experimentais e sentir na prática qual o estilo de dança com o qual você mais se identifica.

Gostou do assunto do post? Então aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais. Algum amigo também pode se beneficiar deste conteúdo!

 

20% off + frete grátisPowered by Rock Convert